Stakeholder workshop in Bolivia

Posted on noviembre 19, 2013 · Posted in Portuguese

EN | ES

Porque se envolver com as pessoas na região?

Para que o projeto ROBIN tenha sucesso é essencial que integremos o conhecimento sobre o papel da biodiversidade nos ecossistemas terrestres, em sua capacidade para mitigar as mudanças climáticas, com as necessidades, motivações e os pontos de vista das pessoas das regiões analisadas pelo projeto. Também precisamos saber quais são os fatores que mais influenciam os sistemas naturais, como também, o comportamento das pessoas, incluindo as políticas e as iniciativas de gestão mais relevantes.

O diálogo com as pessoas oriundas das localidades (study cases) inseridas nas regiões de interesse do projeto ROBIN, constitui um importante aspecto para entender melhor os fatores que afetam essas populações. Como elas são impactadas e respondem, adotando ações de mitigação e de adaptação frente às mudanças climáticas. Extraindo o conhecimento local e considerando os pontos de vista das populações afetadas será possível aplicar, aos nossos cenários, enfoques integrados de modelagem em escalas locais e regionais, tornando-os mais realistas.

Locais de estudo

No componente social do projeto ROBIN, estamos realizando uma série de reuniões com os atores locais nas quais, usando metodologias como o Mapa Cognitivo Difuso (MCD) podem-se extrair as ideias e as percepções das pessoas, quanto à adoção de estratégias relacionadas com as mudanças em seu entorno natural e social. Nosso objetivo é prospectar e organizar informações relevantes, que possam ser úteis para a concepção de novas políticas de gestão dos recursos naturais e mitigação da mudança climática e para sustentar tecnicamente a tomada de decisões que possam afetar a biodiversidade. Estamos trabalhando em uma variedade de escalas, do local ao global, apesar de nosso foco de atenção centrar-se em três regiões tropicais da América Latina.

Nosso foco de trabalho com as partes interessadas está centrado em três áreas de estudo: Bacia Chamela -Cuitzmala (México), Tapajós (Brasil) e Guarayos (Bolívia). As áreas de estudo foram escolhidas pelos seus contrastes geográficos (América Central e Amazônia), ecológicos, culturais e socioeconômicos. A intenção é realizar uma série de workshops em cada lugar com o objetivo de desenvolver cenários, atuais e futuros, sobre o uso do solo e a biodiversidade, pelos quais serão usados os MCD. Até o mometo já foram realizadas reuniões em Guarayos e Cuitzmala. No Brasil, a primeira reunião, será realizada em breve. Nesse sentido, durante a reunião geral do projeto ROBIN em Madri, Espanha, houve uma sessão de treinamento para preparar os organizadores destes workshops.

Study sites for ROBIN's stakeholder engagement work (map)

Localização das áreas de estudo (mapa obtido por Varela-Ortega, et al. A handbook for the participatory process in ROBIN: Development of methods for local stakeholder meetings. ROBIN report D3.1.2) [Click to enlarge]

Bolívia

O Município de Asención de Guarayos foi selecionado como um estudo de caso, devido à grande diversidade de recursos naturais que possui e à variedade de atores sociais que por estes competem. Assim, a primeira rodada de reuniões em Guarayos foi muito interessante, produtiva e gerou grandes expectativas entre os participantes.

Foram realizados dois workshops, um preparatório e outro oficial. Os representantes das diferentes instituições relacionadas com a gestão e conservação dos recursos florestais, ONGs, associações florestais indígenas e do setor agrícola, assim como a mídia, aproveitaram a oportunidade para trocar informações e experiências de construção de pontes entre as diferentes percepções socioambientais de Guarayos. Eles compartilharam valores, interesses e atitudes referentes aos recursos naturais cruciais da região, bem como, sobre as alterações ocorridas nos últimos anos. Além disso, durante as reuniões, foi possível identificar os principais problemas ambientais de Guarayos e, principalmente, os fatores mais relevantes que parecem ser responsáveis por estes problemas, como o desmatamento, os incêndios florestais e a falta de conhecimento na implementação e coordenação das leis ambientais.

Um dos fatores identificados, que gerou muita discussão entre os participantes, foi o uso ilegal do solo e dos seus recursos, que deixa poucos benefícios aos moradores e consequentemente à região. Eles também destacaram a poluição das fontes de água e a destruição das florestas e pastagens naturais.

México

A bacia de Chamela-Cuitzmala, na costa sul de Jalisco, irriga dois municípios mexicanos: Villa purificação e Huerta. Até o momento, foram realizados vários workshops e reuniões paralelas com importantes atores, a fim de estabelecer um capital social e construir um ambiente de confiança em relação ao projeto ROBIN.

Dois workshops preparatórios foram realizados em Villa Purificação e na Estação Biológica Chamela. Dentre os diversos atores, como agricultores, pecuaristas, líderes indígenas, participaram também os prefeitos de Villa Purificação e Huerta. Destaca-se a participação de um importante líder das cooperativas de pesca do lugar, assim como o representante de uma mina de ferro, além dos representantes de várias instituições governamentais, autoridades locais responsáveis pelo meio ambiente, agricultura e turismo, cientistas naturais e sociais e funcionários de grupos locais de conservação (diretores de reservas ecológicas na área).

Através de discussão em grupo, os participantes abordaram, de várias maneiras, uma série de questões sobre as mudanças sociais, o desenvolvimento cultural, econômico e ambiental na região. Eles também consideraram os determinantes políticos que afetam a transformação do uso do solo. Bom como, discutiram os problemas dos sistemas socio-ecológicos atuais a luz dos seus estilos de vida e a construção de cenários alternativos de uso da terra. A exemplo da Bolívia, onde os participantes também identificaram o desmatamento e o incremento de pastagens e da pecuária como as principais mudanças na região. Considerando a maior capacidade e influência na região, eles creditam aos grandes proprietários de terras, às pessoas que vêm de fora e aos esquemas governamentais a responsabilidade por esta situação. Foi expressa também a preocupação pela perda da vida selvagem nos rios, esgotamento dos recursos naturais, o aumento do uso de agrotóxicos e as mudanças de terras comunais em propriedade privada. No entanto, alguns participantes também identificaram que estas mudanças têm incrementado as oportunidades de emprego na área. Foi interessante descobrir que os agricultores, povo da região, se identificam como perdedores, enquanto que todos os forasteiros foram considerados vencedores.

Numa das reuniões foi notória a clara tensão existente entre os empresários turísticos, os agricultores e os conservacionistas. Manifestou-se preocupação sobre a falta de integração entre as diferentes iniciativas governamentais. Existem inúmeros programas e políticas públicas, o que faz da situação muito complexa, com muitas contradições institucionais. No entanto, existem propostas para melhorar, em diferentes níveis, a situação. Inevitavelmente, há vencedores e perdedores na implementação de iniciativas do governo, dentro e fora da região.

A seguir

Estamos organizando a primeira reunião com atores locais na região de Tapajós, Brasil, e novas reuniões na Bolívia e no México.

A sequência planejada de reuniões para cada área de estudo seguirá uma estrutura conceitual geral, que está integrada a outras atividades do projeto ROBIN. As primeiras reuniões estão voltadas para a compreensão da situação atual, que é o ponto inicial da construção de cenários. Atores locais e cientistas do projeto ROBIN discutem questões em torno da biodiversidade, uso da terra e clima, procurando dados preliminares (inputs) para o estabelecimento de indicadores adequados. O resultado desta primeira etapa de workshops é um conjunto de Mapas Cognitivos Difusos do presente e algumas discussões preliminares sobre a evolução do sistema no futuro.

A segunda rodada de reuniões será utilizada para a exploração do futuro em longo prazo. Procurando revelar como os atores locais vêm o futuro, considerando os fatores externos dos cenários globais a serem utilizados para contextualizar o futuro local. O método utilizado nesta etapa é o MCD combinado com um conjunto externo de cenários de alto nível como os desenvolvidos pelo Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC, por sua sigla em Inglês). Os cenários exploratórios serão enriquecidos usando insumos de outros componentes e modelos do projeto ROBIN, que serão utilizadas para rever criticamente os cenários desenvolvidos anteriormente.

O último conjunto de reuniões vai enfatizar os objetivos de curto e médio prazo, bem como as possíveis ações que contribuam para a mitigação das mudanças climáticas e conservação da biodiversidade na análise e aceitação, viabilidade e relevância para a política pública.

O último conjunto de cenários deve ser representativo no nível regional. O envolvimento do projeto ROBIN com os atores locais está em andamento e o aprendizado coletivo transdisciplinar está acontecendo.

Authors: Fabiola Clavijo[1], Marisol Toledo[1], Peter Gerritsen[2], Irene Blanco[3] and Elena Lazos[4]
Editor: Andy Sier[5]

[1] Instituto Boliviano de Investigacion Forestal- Universidad Autónoma Gabriel René Moreno, Bolivia; [2]University of Guadalajara, Mexico; [3] Universidad Politécnica de Madrid, Spain; [4] Universidad Nacional Autónoma de México; [5] NERC Centre for Ecology & Hydrology, UK